Engendrar-te em pensamentos
Poder ver-te nascer por entre as sendas das estrelas e árvores de concreto
É como inalar a divina emoção, cheirar-te o sangue fresco
Mística atração, corpórea, visual, insinuante, sexo virginal
Anjo “fêmea”, sem asas, redonda, placenta iluminada
Xamâ das tribos enamoradas, cega os olhos refletida na pedra mar
Sangra tua luz, estupra a mente do poeta embriagado(r)
Que lhe oferece tua alma de vozes caladas
Esvair, encontrar-te, cemitério dos fracos amantes,
Cripta, cratera dos falsos falantes
Teus mares consolo de eternos, derradeiros, marinheiros errantes
Guilhotina dos antigos martires em seus últimos anseios
oferecem os próprios prazeres e suas cabeças a ti
iris, retina, pupila, olho aberto na noite
beijar tua face escura a quem timidamente mostrará
esconde-te, tanto, por isso és tão desejada e misteriosa
empalidece diante o sol, recebe tua luz, humilde ninfeta
não guarda pra ti os prazeres mas para quem te pretendes
mulher, fêmea, eterno cio, crescente, decrescente
fases de uma mesma face, cheia da orgia celestial
em sua linha circular, segura, adorna os tesões dos deuses
vozes caladas noites embriagadas
morte esperada
pra ti entregarei minha alma lunar.

6 Comments:

  1. Anônimo said...
    De onde você veio?
    Anônimo said...
    Precisávamos de ao menos um comentário não acha?
    Shirlei Leandro said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Mimirabolante said...
    Achei o Blog interessante....
    Lu Oliveira said...
    Depois de ler esse texto..sinto mais prazer ainda em ser fêmea..rs

    bjs!
    :P
    Isabela said...
    Lindo, amei!
    Bjs e sucesso!
    Isabela

Post a Comment




Copyright 2007 | Projeto Reticere