...como se fosse um anjo caído de um sonho cálido
Anjo de grandes lábios roxos e possuidor de ancas em deleite...

Pairando assexuadamente em um céu de olhos róseos...
com toque que mescla a amargura do amanhecer e a orgia explicita no crepúsculo
eram digitais sem ex(impressões)

... como se fosse tirana...por vingança desceu à terra...

E seus pés tocaram a grama do jardim da salvação, calmos como o olho do furacão
vagou em trejeitos lascivos com a boca aberta e a espreita

... como se fosse pura...para se sujar colheu a flor da perdição...

Bem vinda ... noite
Espectro de charme e matizes misteriosos,
que envolve como chuva ácida,
descaracterizando o caráter, a razão e os desejos.
.

6 Comments:

  1. Mai Amorim said...
    Nossa, saudade de me deleitar nesses textos... foi uma mescla de sentimentos tão grande que ainda não sei ao certo o que comentar... me tocou.
    V. Linné said...
    Lembrou-me, fortemente, Rimbaud.
    http://escrevendootempo.zip.net said...
    ...e tudo o que ela traz se desfaz na cara do sol.

    Nadilce Beatriz
    Rodrigo Fabre said...
    Admiro muito o trabalho de vocês. Essa "fusão" de artes é espetacular!
    Sucesso.

    Rodrigo, do Prefiro Whisky
    Lucia M. Ghaendt-Möezbert said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Lucia M. Ghaendt-Möezbert said...
    Belíssima ilustração.
    Adorei a atmosfera de prazer e culpa do texto, como a noite que chega com a esperança oculta de um erro bom...

Post a Comment




Copyright 2007 | Projeto Reticere