Vivemos a vida esperando
Numa ilusória utopia
Não desperdice com a tristeza
As poucas alegrias

Temos os dias de primavera
Com a chuva os amigos se perdem
Somos atores de passagem
No ato sem aplausos

Vivemos a frágil felicidade
Florescem os jardins de lápides
Logo é a hora de conhecermos a verdade
Desenrola a serpente da idade

Sentados à margem da estrada
Vivemos nossa curta vida
Precipitam imagens douradas
Do mudo crepúsculo.

.

11 Comments:

  1. B... said...
    esperar...e esperar....nada mais...

    legal o blog....
    parabéns

    Bju..
    Sarah Vervloet. said...
    Lindo.

    Parabéns pelo blog. Acabei de conhecer.

    beijos.
    Chris Rodrigues said...
    Sim, a felicidade é frágil...
    Ana Gotz said...
    Aceito pequenas porções de felicidade. Algum doador?
    Mariah Menezes said...
    quem espera... não alcança!
    Nay said...
    O tempo não espera mesmo, mas isso nada tem a ver com a idéia de correria, que devemos correr enlouquecidamente pra fazer coisas, coisas e mais coisas. O negócio é ver. Fazer só as coisas notáveis. Isso sim é que é aproveitar.
    Camila Diniz said...
    caiu como uma luva
    susie soares said...
    ótimo texto... penso na importância de viver a vida a cada dia, aproveitando os momentos de felicidades, mesmo curtos, de esperas, de ilusões, de utopias...carpe dien
    KARLA said...
    não disperdice com a tristeza
    as pequenas alegrias...


    Dá um aperto... a poesia de vcs toca fundo no meu coração... ela ´tem vida...
    Cássia Oliveira said...
    Só não gostei do cara cantando!!! Poderia deixar o violão! Ha.
    Nadia Gal Stabile said...
    bem bacana!! adorei!!! e compartilhei no SARAU PARA TODOS e no FACEBOOK!!! PARABÉNS!!!
    os áudios, as ilustrações estão mafníficas!!! SUCESSO!!! abrações

Post a Comment




Copyright 2007 | Projeto Reticere