... seu querer fazia versos naquele dia... dia de dançar para desviar dos pingos da chuva que brotavam das nuvens do seu rosto, dia de deixar desfalecer o tempo e no escurinho da alma sentir piscar vaga-lumes... e eram versos bons de se perder no contar da realidade em que vivia, dia que a felicidade se esquecia de passar e repouso fazia naquelas horinhas de saudades sem medo... escrevendo, era assim que se sentia... mas, no acabar dos escritos, no silenciar da última palavra, voltava a tristeza e seus olhos calejavam uma outra vez mais de lágrimas... e de lá e de cá e de lá e de cá e de lá e de cá era só mesmo este o fazer do sentido da vida, que dedilhava num quetinho só, o amor que um dia teve...

21 Comments:

  1. Aline Leonardo said...
    Que coisa gostosa de ler!!!!!
    Reticere faz bem pra alma, edifica.
    Abraços
    Carol said...
    Lindo!
    Continue fazendo versos...
    Crazy Mary said...
    Lindo, realmente.
    Bjs
    Ana Paula said...
    Encontrei o cantinho perfeito pra leitura ta lindo d+... amei!!!
    Sandrinha said...
    O silenciar da última palavra vem sempre com uma tranca...uma palavra que fecha os versos e aperta o coração...
    Parabens !
    Sandra Duarte
    Vinícius said...
    Realemnte muito bonito.
    Me calo com uma única onomatopéia:
    Uau!

    Abraços
    Roberta Profice said...
    Eu agora posso acompanhar de pertinho...Que bom!
    Karine said...
    Saudade da visita de vcs lá no meu canto...

    Sobre o texto: Muito bonito e ocm um ritmo centrado, preciso. Amei isso.

    Esta dualidade entre a lágrima e o sorriso é uma das coisas mais poéticas que existe.

    um bj.
    said...
    Nossa, minha descrição perfeitinha! Inimaginável!
    H. Viana said...
    Virgem é um signo díficil viu, mas qndo estudar essas coisas lhe digo com mais certeza..

    Obrigada pela visita, volte sempre!

    Beijos...

    O texto é bacana, e por incrivel que pareça, serve pra mim, no dia de hoje.
    Thazya said...
    nossa, fiquei embevecida com esse pequeno texto , parabéns pelos trabalhos!
    estarei sempre vindo aqui para apreciar, beijos!
    Fernanda said...
    É, senhor Militani-pai: tinha me esquecido do que você é capaz...mas agora está nos meus "favoritos" (simbólica e literalmente) e aqui estarei sempre. Aqui, ali no Vai da Valsa e no Fornit Somes Fornus (este se ainda existisse)...
    Férias é um negócio bão né...vou tirar minha barriga da miséria e perambular ainda muito por essas bandas!
    Rose Soares said...
    Que lindo!
    Expressa o poder das palavras... e de uma forma metalingüística!
    Tereza said...
    Lindo texto, lindo blog!
    Parabéns!
    ana wagner said...
    Por quê fui bloqueada no perfil do Projeto??
    Nath said...
    É tão triste quando ela vem em forma de saudade.

    Quando ela vem como um vulto, não é possível fincá-la ao peito para que permaneça.
    Pri ੴ said...
    Como sempre... Textos magníficos...
    Sempre nos trazem alguma reflexão....
    Bjos
    Mary West said...
    Belo belo texto. Adorey.
    Daya said...
    Dá até vontade de sair fazendo versos com o sorriso que as palavras desse post deixou em meu rosto!!!

    [td mto lindo aqui!]
    isabella said...
    Gostei muito do blog!!! Os textos são muito interessantes, inteligentes e principalmente profundos. Especialmente este eu gostei demais.
    Wellita said...
    Adorei!

Post a Comment




Copyright 2007 | Projeto Reticere